Distribuidora de Doces Árabes: R. Firmiano Pinto, 213 Belenzinho - São Paulo (11) 2694-4028 EN-US

Como começou a imigração árabe no Brasil?

No dia 25 de março, comemoramos o Dia Mundial da Comunidade Árabe, uma singela homenagem para a essa comunidade tão rica em cultura e costumes. Diferente do que muitos pensam, a presença do público árabe no Brasil não é recente e as primeiras imigrações chegaram no país por volta de 1860, quando Dom Pedro II fez uma visita ao Líbano e estimulou a vinda de libaneses.

Os imigrantes tinham origens de diversos lugares: Líbano, Síria, Turquia, Iraque, Egito e Palestina. Mesmo que vindos de tantos locais, eles tinham coisas em comum: a língua, os dialetos, a cultura e a culinária, que atualmente é tão forte nos pratos brasileiros. Os povos árabes começaram a vir pro Brasil, inicialmente por fatores religiosos e econômico-sociais ligados à estrutura agrária dos países de origem.

Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, as viagens para a América eram realizadas pelas agências de navegação francesas, italianas ou gregas. Eles dirigiam-se para outros portos do Mediterrâneo como Gênova e às vezes esperavam meses por uma conexão que os levassem para locais como Rio, Santos ou Buenos Aires.

A maioria dos imigrantes se dirigia para São Paulo, enquanto outro número menor ia para o Rio de Janeiro ou Minas Gerais. Poucos foram para Rio Grande do Sul e Bahia. Em 1920, mais de 58 mil imigrantes já haviam entrado no Brasil e 40% desse número estava em São Paulo.

Na cidade de São Paulo, na década de 30, os árabes estavam concentrados nos Distritos da Sé e Santa Ifigênia, entre as ruas 25 de Março, Cantareira e Avenida do Estado. No Rio de Janeiro, a concentração ficou na área das ruas de Alfândega, José Maurício e Buenos Aires. Antes disso, já em 1901, já eram mais de 500 comerciantes árabes em São Paulo, donos de 80% dos armarinhos e tecidos de varejo.

O maior sucesso dos imigrantes árabes foi a sua entrada no setor industrial, nas duas primeiras décadas do século XX, como um dos casos mais significativos e conhecidos pelos brasileiros: o sucesso da família Jafet.

Comunidade árabe no Brasil atualmente

Atualmente, muitas das imigrações ocorrem devido aos conflitos armados que ocorrem nos países do oriente no momento. De acordo com a ACNUR Brasil – Agência da Onu para Refugiados no Brasil, em 2018 o Brasil reconheceu 1086 refugiados, sendo que 36% deste número diz respeito aos cidadãos sírios.

Nos dias de hoje, conseguimos perceber com mais facilidade a presença da comunidade árabe nas ruas e nos comércios. Eles são responsáveis pela disseminação de uma cultura diferente e com muitos detalhes interessantes e importantes socialmente.

Com uma história tão bonita e de tantas lutas, somos muito gratos a comunidade árabe por todos os conhecimentos que nos trouxeram e também por toda a cultura que disseminam pelo país. Parabenizamos a todos os árabes que moram no Brasil pela força e por continuarem fortes em seus costumes.

Aqui na Faruk temos um pouco da cultura árabe em nossos doces feitos com muito carinho e com a presença de toda a referência culinária do oriente. Entre em contato e leve um pouco dessa referência para a sua casa!

Leave a Reply